Polaroids inéditas de Andy Warhol ganham livro

 

Selfie Andy Warhol

Selfie Andy Warhol

Quando câmeras digitais, smartphones e aplicativos como Instagram nem sonhavam em serem inventados, o maior ícone da pop art já se comportava como nos tempos pós-modernos.

Pode parecer um fenômeno recente, mas Andy Warhol era um ‘ selfie-taker ’ insaciável. Já naquela época, através das Polaroids, imprimia sua visão vanguardista fotografando os bastidores de sua vida e de seu célebre grupo de amigos.

De 1958 até sua morte em 1987, Warhol tirou centenas, se não milhares, de fotos instantâneas. Muitas já vendidas em leilão ao longo dos anos, mas 700 de suas polaroides menos famosas, entre elas algumas inéditas, podem ser vistas no novo livro que a editora Taschen acaba de lançar Andy Warhol Polaroids, 1958-1987’.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Através de suas mais de 500 páginas, o livro faz uma viagem no tempo e na vida de Warhol, com fotos do cotidiano do artista, seus amigos, festas e criações artísticas.

Pelé, Audrey Hepburn e Yves Saint Laurent são alguns dos nomes que aparecem em fotos inéditas. Além deles, é claro, inúmeros micro-retratos da entourage de Sir Warhol, que incluía nomes como Jean Michel Basquiat e Lou Reed.

Andy Warhol Polaroids’, que já está em fase de pré-venda pelo site da Amazon, será lançado oficialmente no dia 10 de setembro.

O livro nos faz imaginar o que Warhol teria feito com o Instagram.

Liza Minnelli

Liza Minnelli

Jack Nicholson

Jack Nicholson

Audrey Hepburn 1973

Audrey Hepburn 1973

Arnold Schwarzenegger

Arnold Schwarzenegger

 

Artista transforma fotografias antigas em obras coloridas e surrealistas

Imagens: Jane Long Photography

Imagens: Jane Long Photography

A artista australiana Jane longo transforma antigas e desvanecidas fotografias em preto e branco em obras coloridas e surrealistas dando um ar completamente novo e mágico às imagens.

As fotos utilizadas para a série de Jane datam de meio século atrás e foram tiradas por Costică Acsinte, um fotógrafo de guerra romeno.

A ideia da artista foi trazer um pouco de alegria e leveza para as fotografias, já que na época em que as imagens foram tiradas não era costume  posar para fotos sorrindo.

Com seu trabalho, Jane prova como pode mudar completamente nossa percepção das imagens. Confira a seguir.

Underneath-ba tall-poppies-ba sweetheart-ba neptunes-bride-ba Jane-Long2 innocence-ba farewell-1-ba burn-it-down-ba
2-up-extra-2 2-up-extra

Pantone Café

Imagens: Divulgação

Imagens: Divulgação

Localizado em Mônaco, mais precisamente no Grimaldi Forum, o novo Pantone Café proporciona uma experiência inédita: ‘Provar cores’.

Mas, como assim?

08-Pantone-Cafe-Monaco

O espaço idealizado pelo Monaco Restaurant Group é uma homenagem aos admiradores da marca – tudo ali é colorido e possui o número de série da cor. Assim, cada sanduíche, salada, drink ou café conta com sua cor própria até mesmo as mesas, guardanapos e cadeiras.

02-Pantone-Cafe-Monaco 05-Pantone-Cafe-Monaco

Que tal um sanduíche de prosciutto di Parma 18-153, um éclair de chocolate 19-1625 e um Aperol refrescante de laranja 17-1464?

07-Pantone-Cafe-Monaco 09-Pantone-Cafe-Monaco

O café é temporário e deve funcionar até a primeira semana de setembro, mas a intenção é que o projeto tenha outras edições ao redor do mundo, sempre em eventos culturais ou relacionados à moda.

03-Pantone-Cafe-Monaco

Ficamos aqui na torcida!

Geladeira Solidária

Imagens: Divulgação

Imagens: Divulgação

Na pequena cidade espanhola de Galdakao, a 20 quilômetros de Bilbao, uma geladeira em cima de uma calçada não é um eletrodoméstico abandonado, mas um projeto pioneiro que visa combater o desperdício de comida.

Durante as últimas sete semanas, a cidade de 29 mil habitantes, dá espaço para a primeira “geladeira solidaria” da Espanha, projeto que conta com a colaboração de supermercados e restaurantes para abastecer o refrigerador dando uma segunda chance para alimentos não utilizados, mas ainda bons para o consumo de qualquer um que se interessar.

Geladeira solidaria - portalpitanga (2)

A ideia surgiu quando, Álvaro Saiz e outros membros da associação de voluntários da cidade, estavam refletindo sobre a enorme quantidade de alimentos que são descartados por supermercados, quando o prazo de validade se aproxima. Levando os a pensar que se caixotes de lixo dessem lugar a uma geladeira, as pessoas poderiam aproveitar esses produtos.

Demorou cerca de um mês para preparar toda a papelada necessária para que o projeto pudesse acontecer, incluindo uma autorização da cidade para usar o espaço público e os documentos legais para assegurar que os organizadores não fossem responsabilizados se algo desse errado com a comida da geladeira. De toda forma, um grupo de voluntários são responsáveis por inspecionar os itens e jogar no lixo o que passar da validade.

Mas não é qualquer coisa que pode ser colocada na ‘geladeira solidária’, há uma série de restrições, tais como: peixe cru, carne ou ovos e produtos fora do prazo de validade. Além do mais, qualquer coisa preparada em casa deve incluir uma etiqueta detalhando quando foi feita.

Até agora, nenhum problema foi registrado e a iniciativa vem sendo muito bem aceita, chamando a atenção para além das fronteiras.

Tradição no mercado de beleza parisiense é reavivada com o renascimento de marca centenária

buly

Paris já abriga as melhores farmácias do mundo e algumas das melhores marcas de cosméticos, mas de um ano pra cá sua tradição no mercado de beleza foi intensificada com o renascimento da marca centenária L’Universelle Officine Buly – Uma botica fundada em 1803 que ganhou fama graças aos cosméticos com fórmulas inovadoras para a época, criados pelo famoso perfumista parisiense Jean-Vincent Bully.

Ramdane Touhami e Victoire de Taillac, o casal por trás do rebranding e da expansão global e bem sucedida da Cire Trudon, conhecida por quem ama velas perfumadas, são os responsáveis pela ressurgimento da Buly.

A dupla visitou cerca de 130 boticas do século 15 ao 19 e vasculhou todo o histórico da marca de beleza, desde receitas antigas até as embalagens da época.

buly (6) buly (8) buly (7)

O resultado é uma luxuosa loja localizada na Rue Bonaparte com produtos que seguem as receitas originais com apenas algumas atualizações na fórmula.

Oferecendo mais de 400 produtos, o local foi projetado para dar a sensação de uma farmácia antiga, com armários de madeira e pavimento em mosaico, assim como as embalagens que resgatam a identidade visual da época.

buly (4) buly (3)

Escovas com pelo de javali, cremes de andiroba, ou mesmo um pente da família real japonesa (cada um exige 3 anos de trabalhos manuais), tudo pode ser encontrado por lá.

L’Universelle Officine Buly é parada obrigatória para os fãs de cosméticos e produtos de beleza.

Empresa italiana cultiva vegetais no fundo do mar

Empresa italiana cultiva vegetais no fundo do mar - portalpitanga

Com o objetivo de criar fontes alternativas para a produção agrícola em áreas onde as condições ambientais tornam o cultivo extremamente difícil, incluindo pragas e mudanças extremas de temperatura, cientistas italianos provaram que é possível cultivar vegetais no fundo do mar.

A ideia maluca surgiu durante as férias de verão do italiano Sergio Gamberini, presidente da Ocean Reef Group. Ele imediatamente começou a fazer testes, afundando uma espécie de estufa – um balão transparente, cheio de ar, que foi ancorado no fundo do oceano.

Empresa italiana cultiva vegetais no fundo do mar -portalpitanga

Capitaneado por Gamberini e sua empresa a Ocean Reef Group, o projeto está em seu quarto ano e já conta com cinco estufas subaquáticas localizadas ao largo da costa de Noli, na Itália, cerca de oito metros abaixo da superfície do Mar Mediterrâneo.

Empresa italiana cultiva vegetais no fundo do mar

Apelidadas de Jardins do Nemo, as estufas submersas tiram proveito das propriedades naturais do mar para cultivar plantas. As temperaturas subaquáticas são constantes, e a forma das estufas permite que a água evapore invariavelmente. Além disso, as grandes quantidades de dióxido de carbono atuam como esteroides para as plantas, permitindo que elas cresçam a taxas muito rápidas.

Empresa italiana cultiva vegetais no fundo do mar - portalpitanga (2)

Uma série de vegetais, como manjericão, alface, morango e feijão, estão sendo cultivados nos cinco balões. O Ocean Reef Group, que tem a patente das estruturas, planeja testar outras culturas que devem prosperar no ambiente úmido como, por exemplo, cogumelos.

Empresa italiana cultiva vegetais no fundo do mar (2)

Espera-se que o êxito da empresa até agora lance as bases para uma nova forma de produção agrícola, principalmente, para aquelas regiões que tem maior dificuldade na busca de soluções alternativas para a produção de comida.

Confira, no vídeo abaixo, a equipe de Gamberini em ação:

Inglesa quer abrir o primeiro café do mundo dedicado a mães que estão amamentando

Charlotte Purdie

Envergonhada de amamentar seu filho em público, a inglesa Charlotte Purdie, de 21 anos, está tentando levantar 5 mil libras no Kickstarter para abrir o primeiro café em Londres exclusivo para mães que estão amamentando.

A ideia de utilizar o Kickstarter surgiu quando os bancos, que embora tivessem adorado a ideia, pediram a Charlotte que arrecadasse pelo menos 50% do valor necessário para montar o lugar.

Chamado ‘The Milk Lounge’, algo como ‘Sala do Leite’, o café baby-friendly, oferecerá uma área para as mamães socializarem, bem como cabines privativas e estações de aquecimento de mamadeiras. Também contará com bastante espaço para carrinhos, cantos para as crianças mais crescidinhas brincarem juntas e opções de comida saudáveis, entre outras coisas.

photo-original

Gostou da ideia? Confira mais detalhes no link.