Máquina de camisetas em Berlim causa polêmica

Imagens: Divulgação

Imagens: Divulgação

Todo mundo quer pagar pouco por roupas de moda.

Infelizmente, na grande maioria dos casos, não pensamos em quem realmente está pagando o preço.

Com esse propósito, a Fashion Revolution, organização sem fins lucrativos, resolveu botar fogo na discussão sobre a maneira como as roupas baratas que compramos são produzidas.

Para isso, a ONG espalhou pelas ruas de Berlim vending machines com camisetas a venda por apenas 2 euros.

Ao colocar o dinheiro e apertar o botão de compra, os pedestres interessados na pechincha eram surpreendidos por um vídeo mostrando funcionárias de uma fábrica têxtil e suas terríveis condições de trabalho. Após o vídeo, uma pergunta surgia na tela: “Você ainda quer comprar essa camiseta por 2 euros?” e a máquina apresentava a opção de compra ou doação.

Máquina de camisetas em Berlim causa polêmica

A intervenção deu o que falar nas redes. Afinal, preços baixos nem sempre são o resultado do emprego de mão de obra escrava ou de condições precárias de trabalho. A iniciativa ignora assim que outros motivos possam contribuir para a redução dos preços.

Além disso, não só peças baratas são fabricadas com mão de obra escrava. A iniciativa se esquece, por exemplo, que muitas marcas de luxo, com itens caríssimos, também podem fazer uso do mesmo expediente.

E você, o que acha?

Confira abaixo o vídeo da iniciativa:

Casa Cavia – Buenos Aires

Imagens: Divulgação

Imagens: Divulgação

A recém inaugurada Casa Cavia, localizada no bairro de Palermo Chico, em Buenos Aires, vai muito além da gastronomia.

Inteiramente restaurado pelo Estúdio inglês Kallos Turin, o antigo casarão da década de 20 abriga atualmente uma mistura charmosa de restaurante, pâtisserie, editora, livraria, loja de flores e perfumes.

image image

Guadalupe Garcia Mosqueda, fundadora e diretora criativa do espaço, reuniu os mais novos talentos da Argentina para criar e cuidar de cada departamento , entre eles: Julián Bedel, da marca Fueguia1833, e suas famosas fragrâncias inspiradas na natureza, a patisserie requintada de Próspero Velazco, a maestria culinária de Pablo Massey, top chef argentino, e os arranjos de flores da figurinista e diretora de arte, Silvana Grosso, que são verdadeiras obras de arte. Sem contar com a curadoria apurada de Ana Mosqueda para a livraria que atrai os mais diversos gostos.

image image image image image image

Esperamos que este projeto inspire vários negócios aqui no Brasil e ao redor do mundo, não somente, por proporcionar essa mistura fértil de várias atividades, mas pelo fato de restaurar e dar uma nova vida a uma construção histórica.

Cinema Delivery – Como um Filme passado em uma Van se tornou um sucesso

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

Convidada para divulgar o filme húngaro “For Some Inexplicable Reason”, a Y&R de Budapeste encarou um grande desafio: A maioria dos húngaros não vai ao cinema para assistir produções nacionais.

O filme que, por sua vez, era a estreia do diretor Gabor Reisz, precisava se destacar de alguma forma.

Resumindo, a estratégia da Y&R foi basicamente essa: “Se Maomé não vai até a montanha, a montanha vai até Maomé”.

A agencia criou um cinema delivery. Assim como um pedido de pizza, o “cinema móvel”, uma Van com telona, sala escura, cadeiras de cinema e lugar para sete amigos, poderia se deslocar até o local desejado.

A ideia rendeu espaço em grandes veículos, e bastante burburinho em torno do filme que acabou fazendo sucesso internacional, inclusive com prêmios em festivais como o Torino Film Festival.

Confira os detalhes no video abaixo:

Modelos viraram Barbies em editorial da Vogue Paris

bonecas-818x435

O fotógrafo italiano Giampaolo Sgura produziu um editorial muito divertido para a edição de janeiro de 2015 da Vogue Paris.

As modelos Magdalena Frackowiak e Elisabeth Erm aparecem posando como se fossem Barbies temáticas de grandes marcas, como ChanelDiorSaint Laurent, entre outras, dentro de suas caixas e com os acessórios, exatamente como as bonecas vêm.

Dá só uma olhada:
Supermodels-Dolls-VOGUE-0

Supermodels-Dolls-VOGUE-31 Supermodels-Dolls-VOGUE-10 Supermodels-Dolls-VOGUE-9 Supermodels-Dolls-VOGUE-8 Supermodels-Dolls-VOGUE-7 Supermodels-Dolls-VOGUE-6 Supermodels-Dolls-VOGUE-5 Supermodels-Dolls-VOGUE-4 Supermodels-Dolls-VOGUE-2 Supermodels-Dolls-VOGUE-1

O Metrô de NY em 1946, retratado por Stanley Kubrick

Imagens © Stanley Kubrick

Imagens © Stanley Kubrick

Antes de entrar para a história como um dos grandes diretores de cinema, um garoto de apenas 17 anos, chamado Stanley Kubrick, recebeu a missão de documentar um dos lugares mais representativos de Nova York – o metrô.

Durante duas semanas, em 1946, o cineasta trabalhou para a revista LOOK retratando o cotidiano e os momentos íntimos das pessoas no metrô da cidade.

Olha só:

kubrick 2
kubrick 3
kubrick 4
kubrick 5
kubrick 6
kubrick 7
kubrick 8
kubrick 9
kubrick 10
kubrick 11
kubrick 12

Naked picolé

Imagens: Divulgação

Imagens: Divulgação

Um sorvete com zero corante, zero açúcar, zero gordura vegetal e zero pastas saborizantes. Isso mesmo que você leu, a recém lançada marca brasileira de picolés , Naked, tem tudo isso, ou melhor, não tem nenhum dos componentes citados acima.

A ideia do picolé surgiu quando os amigos, Rafael Cipolla e Tiago Godoy, estavam na praia, vendo marcas que se diziam saudáveis, mas não eram.

Naked picolé 2

Foi quando a dupla criou o produto que promete ser 100% natural, sem conservantes ou aditivos industrializados, feito apenas de frutas e água de coco.

O resultado é surpreendente no visual e nos sabores que variam de acordo com as frutas da estação. Entre as versões de maior sucesso, estão a de manga e a de coco.

Naked picolé 3

Por enquanto, não há pontos de venda dos picolés Naked, que são vendidos por encomenda a R$ 8.

Mas a marca já trabalha em eventos e está negociando pontos de venda em feiras gastronômicas, lojas de produtos naturais e outros estabelecimentos.

Naked picolé 4

Projeto premiado quer transformar túneis de metrô desativados de Londres em ciclovias subterrâneas

Imagens: Divulgação

Imagens: Divulgação

Londres atingiu, recentemente, seu maior nível populacional da história que, por sinal, continua crescendo. Com isso, propostas de infraestrutura vêm sendo cobradas pelos cidadãos.

Em tempo, um projeto elaborado pelo escritório Gensler pretende resolver esse problema com um plano inusitado: criar uma ciclovia subterrânea a partir de túneis de metrô desativados.

Isso porque, quando o governo de Londres expandiu a extensa rede de metrô da cidade, alguns percursos foram inutilizados. Agora, este novo projeto, chamado London Underline, quer revitalizar estes locais abandonados.

London Underline 2

O plano consiste em renovar esses espaços para criar um local de circulação para pedestres e ciclistas, além de equipá-lo com lojas e espaços culturais.

Em alguns trechos, o escritório ainda pretende instalar um piso especial que transformaria o atrito gerado pelos passos e pneus de bicicleta em eletricidade.

London Underline 3

Algumas pessoas acreditam que o London Underline, que acaba de ganhar um prêmio de Melhor Projeto Conceitual no London Planning Awards, é uma resposta viável para o problema de congestionamento na cidade.

Confira os detalhes no vídeo abaixo: